terça-feira, 1 de novembro de 2011

Jazz-under-ground

Jazz-Under-ground
Voz quente e sexy
Do andar de baixo invade macia meu andar em cima
Teto quente de gata de boca carmim
Vidraças embassadas ronroneiam
Ao som do jazz-blue-Amy
Sex-pistols mister
Volúpia intensa de mulher
Notas musicais sugam meus ouvidos
Abalam todos os meus sextos-sentidos
De baixo para cima todos os andares
São House my Wine.
Giselle Serejo,nov,2011.


Um comentário:

  1. Bom, Gi! Gostei do calor do poema; sensualidade sutil, mas intensa.
    Bjs.

    ResponderExcluir